Vinhos e combinações – harmonização perfeita

Seja no almoço ou no jantar, o vinho é a bebida perfeita para diversas ocasiões. No entanto, para fazer uma indicação impecável ao cliente, é preciso ter alguns conhecimentos básicos sobre o drinque. Vejamos a seguir.

Conhecendo mais sobre o universo dos vinhos

Primeiramente, para acertar na combinação do vinho com a gastronomia e proporcionar uma experiência inesquecível no paladar do seu cliente, é preciso, antes de tudo, entender algumas características básicas.

Resumidamente, essa bebida maravilhosa se divide em seis aspectos importantes como: cor, doçura, acidez, taninos, teor alcóolico e corpo.

1. Coloração dos vinhos

Certamente, você já deve ter visto vinhos de cores distintas não é mesmo? Logo, cada cor de depende da variedade de uvas e da forma como ela é produzida. Sendo assim, há três cores principais que são de suma importância: brancos, roses e tintos.

Vinhos brancos

Os vinhos brancos são fabricados pelas uvas brancas ou tintas. Portanto, essa coloração claríssima se deve ao fato de as cascas serem removidas antes do início do processo de fermentação.

Vinhos roses

A coloração dos vinhos roses adquirem esse tom porque foram feitos pelo suco de uvas tintas. Assim, na fabricação o líquido ficou pouco tempo em contato com a casca da fruta na fermentação.

Vinhos tintos

Já os vinhos mais escuros, também são feito das uvas tintas e possuem essa tonalidade pelo motivo de ficarem em contato com as cascas, em todo o processo de fermentação.

2. Doçura

São diferentes sabores que essa bebida tão especial causa ao nosso paladar. Isso acontece porque na fermentação as leveduras consomem o açúcar natural da fruta.

Desta maneira, a doçura do vinho depende da quantidade de açúcar que continuam no líquido após a morte das leveduras. Então, quando falamos no termo doçura, eles se dividem em três tipos importantes: secos, semi-secos e doces.

Secos

Dentro dos vinhos secos estão as bebidas mais sofisticadas. Não há sabor de açúcar. Aliás, eles tem em média cerca de apenas 4 gramas de açúcar por litro.

Semi-secos

Já nas bebidas semi-secas, as leveduras são retiradas antes que consumam todo o açúcar da fruta e causam no paladar um sabor levemente adocicado. O teor de açúcar é aproximadamente de 4,1 a 25 gramas de açúcar por litro.

Doces

Os vinhos doces são produzidos a partir das uvas pacificadas, sendo assim contém níveis altos de açúcar e é bem docinho. Cada litro possui em média de 25,1 a 80 gramas de açúcar.

3. Acidez

A acidez se refere aos aspectos refrescantes que contém na bebida e fazem o nosso paladar salivar. Nos vinhos ela se divide em dois tipos: flácidos e azedos. O primeiro não há acidez, enquanto o segundo tem um sabor bem ácido.

4. Taninos

O tanino presente no vinho é o responsável pela a sensação de secura no paladar. Assim, eles são encarregados pelo o “encorpamento” e “envelhecimento” da bebida. Em outras palavras, atribui ao vinho uma estrutura mais complexa e um corpo maior.

5. Álcool

Durante o atendimento, apenas olhando o teor alcóolico da bebida é possível saber a sua complexidade. Pois, quanto mais álcool presente, mais encorpado o vinho será.

No nosso país o teor alcóolico dos vinhos variam entre 8,6% a 14%, já nos importados o volume varia entre 7 a 16%.

6. Corpo

Quando falamos em corpo do vinho estamos nos referindo a sua espessura e ao peso que ele causa do paladar. Inclusive, levam em conta a concentração da uva, a quantidade de álcool, a presença do açúcar e o tempo que ficou exposto no barril.

Desta maneira, eles se dividem em três aspectos que são importantes no momento de fazer uma indicação de vinho para acompanhar a refeição: leves, médios e encorpados.

Oferecendo a bebida perfeita para cada tipo de prato

Vinhos leves

Os vinhos leves são bem fáceis de beber, pois possuem um baixo teor alcóolico e baixa concentração de taninos. No entanto, possui uma acidez elevada.

Indique o vinho leve juntamente com pratos mais gordurosos ou delicados

O vinho leve combina muito bem com pratos mais gordurosos ou delicados. Logo, para o seu cliente ter uma experiência marcante no seu restaurante faça essa indicação sempre que pedir pratos como pizzas a base de vegetais.

Inclusive a bebida harmoniza-se no paladar perfeitamente com queijos brancos e macios, carnes brancas e massas com molho de tomate!

Vinhos médios

Os vinhos médios possuem aromas de frutas vermelhas bem intensas. A concentração de taninos é média e tem uma acidez moderada. Aliás, é considerado como um “vinho coringa”, pois combina tanto com pratos mais leves quanto com os mais pesados.

Vinho médio com comida mexicana proporciona um sabor incrível!

A harmonização do vinho médio com comida mexicana proporciona um sabor incrível. Aliás, a bebida combina tanto com pratos mais leves como os mais pesados.

A combinação do vinho médio é versátil e se harmoniza com diversos pratos e molhos. Então, para deixar uma experiência marcante no paladar do seu cliente, ofereça-o com carnes vermelhas, queijos semi-moles e duros!

Vinhos encorpados

Por fim, os vinhos encorpados são aqueles mais densos e tem um alto teor de álcool na composição. Além disso, há uma presença elevada de taninos. Já o aroma é intenso e lembra frutas negras. Por serem feitos de uvas de cascas grossas, as cores são mais escuras e robustas.

Pratos fortes e picantes pedem um vinho encorpado para comemorar!

Os vinhos encorpados harmonizam-se muito bem com pratos fortes e picantes. Inclusive faça essa indicação sempre que cliente pedir churrasco na refeição. Pois, o nível elevado de taninos combina muito bem com receitas gordurosas.

Portanto, para fazer uma experiência gastronômica incrível no seu cliente mostre a ele pratos como carnes vermelhas, feijoadas, queijos duros (como o provolone) e pizzas de sabores mais picantes!

Finalizando o assunto sobre vinhos e combinações

Finalizando o nosso assunto sobre vinhos e combinações, para oferecer uma boa bebida e encantar o seu cliente é necessário apenas alguns conhecimentos.

Vale a pena evidenciar que todos os dados importantes sobre o vinho como teor alcóolico e taninos vem presente na fica técnica (rótulo). Assim, o garçom conseguirá identificar o “corpo do vinho” e harmonizá-los com o prato perfeito.

Via de regra, para não esquecer pratos pesados e picantes combinam com vinhos encorpados, já os pratos mais leves com vinhos leves ou médios”. Na dúvida, sobre qual indicar procure no catálogo de vinhos pelos “médios”, pois, se harmonizam perfeitamente com diversos pratos.

Saiba também sobre cervejas artesanais (clique aqui) e faça a diferença com seus clientes.