É clima de festa junina! 

O mês de junho é geralmente um mês muito esperado pelos amantes das festas juninas. O mês que inicia o inverno já apresenta temperaturas mais baixas e é ideal para criar esse ambiente junino cheio de cores e comidas típicas.
Inspirados no estudo recente do Brasil Food Trends 2020, onde observamos que a busca pela sensorialidade e prazer será uma forte tendência para os próximos anos, resolvemos contar aqui um pouquinho sobre essa festa tão enraizada em nossa cultura e quem sabe dar algumas ideias para você utilizar essa comemoração tão especial para atrair mais clientes?!?!
Ah, se você não leu ainda sobre esse estudo das tendências para os próximos anos, clique aqui.

Origem das festas juninas

A comemoração foi trazida para o Brasil por influência dos portugueses no século XVI.
Na Europa o cristianismo estava se consolidando como a principal religião do continente e uma das formas que a igreja encontrou para converter mais fiéis foi incluindo essas festividades (que já aconteciam como cultos à fertilidade), ao calendário cristão.
No mês de junho 3 principais figuras do catolicismo se destacam, são elas: Santo Antônio (dia 13), São João (dia 24) e São Pedro (dia 29) e a celebração desses santos católicos é feita com muita música, dança e pratos típicos.

Viva Santo Antônio!

O dia 13 é dedicado a Santo Antônio, o santo mais requisitado pois é considerado como santo “casamenteiro”. Você sabia que o Santo Antônio é o segundo santo mais popular no Brasil?
Em um casamento é comum vermos o santo decorando doces e até mesmo sendo carregado no caminho para o altar. Se você possui uma cafeteria ou serve doces em seu estabelecimento, que tal pensar em um cardápio especial para esse santo nessa época do ano, talvez com ingredientes que remetam ao famoso bem casado?

Olha, isso aqui tá muito bom!

As músicas típicas das festas juninas inspiram todos a arriscar alguns passinhos de dança e a soltar a voz. Até hoje muitas são compostas especialmente pelos nordestinos, sendo o pernambucano Luiz Gonzaga um dos grandes destaques.
Mesmo que seu estabelecimento tenha um público voltado ao rock, ou tenha aquela pegada de pubs ingleses, hoje em dia várias bandas já fazem adaptações dos clássicos juninos em forma de pop rock. Que tal escolher um dia para fazer um rock junino no seu bar?

Para dar sorte!

Inicialmente as comemorações desse mês eram feitas para pedir colheitas fartas e fertilidade nos campos. Essas superstições se mantiveram, e hoje várias pessoas continuam fazendo pedidos e simpatias nessa época do ano.
Tradicionalmente as festas juninas são comemoradas de uma forma mais rural, ao ar livre, em pátios abertos ou grandes terrenos. Porém sabemos que na maioria das vezes ter um espaço assim é difícil. Por isso, que tal utilizar da sua criatividade e improvisar no seu estabelecimento algumas referências ao festejo junino? Bandeirinhas coloridas, bambu, lanternas que imitam os famosos balões que costumavam ser lançados aos céus para atender aos desejos… tudo isso pode fazer seu cliente se sentir acolhido e por algumas horas, imersos em uma outra cultura.

Por último e não menos importante: os quitutes juninos!

Fala sério, quem não gosta das comidas típicas de festa junina? Bolo de milho, canjica, sopas e caldos, pamonha, pipoca, quentão… As comidas típicas juninas têm origem do norte e nordeste do Brasil, e isso é um prato cheio para você aproveitar e oferecer a seus clientes essa experiência cultural e gastronômica.
Nessa época do ano, muitos bares e restaurantes entram no clima e promovem seus próprios arraiais com menus exclusivos e por tempo limitado. Alguns desenvolvem drinques inspirados no quentão, outros criam receitas exclusivas de bolos de milho, sem glúten e lactose. Há também aqueles estabelecimentos mais ousados, que recriam alguns pratos tradicionais, com toques modernos e atuais. Pense nas ferramentas que você tem disponível em seu estabelecimento e veja como pode usá-las a seu favor para criar uma opção única e exclusiva!

Essa época do ano está no coração da maioria dos brasileiros, e vale a pena se planejar para trazer um pouquinho dessas raízes para o nosso dia a dia, nem que seja por apenas um mês.