Você já ouviu falar de Síndrome de Burnout?

Você já ouviu falar de Síndrome de Burnout?

O mês de setembro é considerado o mês de prevenção ao suicídio e para fecharmos esse mês e trazer mais conscientização e conteúdo para você, nós da equipe do GoOut vamos explicar o que é a síndrome de Burnout, como ela afeta as pessoas e como é feito o tratamento e diagnóstico.

Síndrome de Burnout: o que é?

Traduzida do inglês de forma literal, "burn" significa queimar e "out", exterior. O termo surgiu em 1970 e podemos dizer que significa algo como “queimar até o fim”. A frase é impactante e por esse motivo necessita muita atenção, pois a tradução é justamente o que acontece com as pessoas que sofrem dessa síndrome: a pessoa perde suas energias físicas e emocionais deixando de produzir qualquer coisa por absoluta falta de energia, chegando ao seu limite.

Parece algo com o que você já sentiu alguma vez? Saiba que de acordo com a International Stress Management Association, atualmente no Brasil, cerca de 33 milhões de brasileiros sofrem com essa Síndrome do Esgotamento Profissional.

Quais são as causas?

A Síndrome de Burnout provoca sintomas físicos e emocionais causados pelo excesso de trabalho em ambientes de cobrança excessiva. As causas podem ser:

  • Responsabilidade excessiva;
  • Pressão constante;
  • Longas jornadas de trabalho;
  • Contato excessivo com o público;
  • Conflito com colegas de trabalho;
  • Pouco repouso.

Essas condições de trabalho desgastantes causam um estado de tensão emocional e estresse tão profundo que mesmo nos momentos de descanso, a pessoa sente que não recuperou as energias e que não consegue mais realizar mesmo as mais simples das tarefas.

Quais os principais sintomas?

Os principais sinais e sintomas que podem indicar a Síndrome de Burnout são:

  • Cansaço excessivo, físico e mental;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Alteração dos batimentos cardíacos;
  • Alterações do sono e apetite;
  • Dificuldades de concentração e raciocínio;
  • Alterações repentinas de humor;
  • Fadiga e dor muscular;
  • Pressão alta e problemas gastrointestinais;
  • Dificuldade em respirar;
  • Alergia e coceira crônica na pele;
  • Negatividade constante e desânimo acentuado;
  • Ansiedade;
  • Sentimentos de incompetência;
  • Falta de motivação;
  • Isolamento.

Se você se identificou com os sintomas acima, saiba que estamos vivendo um período extremamente desafiador nos sentindo cada vez mais cobrados e inseguros. Essa é uma realidade de muitas pessoas ao redor do mundo e você não está sozinho.

Devido à toda esta carga de emoções, às vezes não conseguimos identificar os sintomas desta síndrome e não damos atenção àquela “dorzinha” de todos os dias, que é um indicador de que algo não está bem. Uma dica que damos nesses casos é sempre contar com amigos e familiares que podem ser ótimos indicadores para nos mostrar que não estamos agindo de forma “normal”, e nos ajudar a reconhecer os sinais de que precisamos de ajuda.

O segundo passo é procurar apoio profissional, pois esses sintomas surgem de forma leve, mas tendem a piorar com o passar do tempo.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da Síndrome de Burnout é feita por um especialista em saúde mental após análise clínica do paciente. Os profissionais indicados para realizar o diagnostico são os psiquiatras e os psicólogos, que também irão orientar a melhor forma do tratamento, conforme cada caso.

Como é feito o tratamento?

Após diagnosticado o profissional da saúde indicará a melhor forma de tratamento, contando com a ajuda de um psicoterapeuta e, se necessário, com medicamentos (antidepressivos e/ou ansiolíticos).

É importante dizer que a Síndrome de Burnout tem cura e o período de tratamento é definido dependendo de cada caso.

Além do acompanhamento de um psicoterapeuta e das medicações (se for o caso), outra dica interessante é começar aos poucos com algumas mudanças nos hábitos e estilos de vida.

Lembrando que, como a síndrome é gerada pelas condições de trabalho, é possível que o médico recomende um afastamento do trabalho pelo período que for necessário, assim como acontece nos casos de depressão e outras doenças psiquiátricas.

Como se prevenir?

A síndrome se desencadeia em um ambiente de trabalho pesado e hostil porém, a forma como reagimos a essas dificuldades também está dentro de nós.

Tratar sinais e sintomas logo no início são importantes, mas condutas saudáveis e algumas estratégias que diminuam o stress no dia a dia ajudam a evitar o desenvolvimento da doença.

Atividades de lazer com amigos e família, fugir um pouco da rotina fazendo um passeio ou uma viagem no final de semana, excluir pessoas negativas e fazer atividades físicas são ótimos remédios para evitar desenvolver a síndrome. Ter pessoas em que confia, ter objetivos na vida profissional e pessoal e descansar o suficiente vai manter seu foco e equilíbrio entre o trabalho e lazer.

Sempre que possível, tente também promover o autoconhecimento e autocuidado, pois quando você se conhece você já identifica os sinais de seu corpo e como fazer para manter o bem-estar físico e emocional.

Você é empresário e tem a função de gerenciar uma equipe?

Nós da GoOut estamos diariamente envolvidos com profissionais da área de alimentação e lazer e sabemos que esse é um setor que demanda um contato grande com as pessoas, exigindo sempre cordialidade, simpatia e agilidade, e muitas vezes o trabalho se estende por toda a noite.

As pessoas que trabalham neste segmento também estão muito susceptíveis a adquirirem a síndrome de Burnout e você como dono do estabelecimento não deve medir esforços para promover um ambiente agradável de trabalho, mantendo sempre a comunicação entre seus colaboradores e deixando o caminho aberto para conversas e diálogos. Esse canal de comunicação já faz toda a diferença!

Outra forma de agir é tendo empatia com o seu colaborador, não diga como você faria ou imponha soluções diminuindo o que a pessoa está sentindo. Se coloque no lugar dela e veja o que você (como proprietário) é capaz de fazer para que ela se sinta melhor.

A síndrome de Burnout é uma síndrome que se inicia no ambiente de trabalho e portanto, você é responsável pela saúde mental de seus funcionários, fique atento aos seus colaboradores, geralmente conseguimos notar quando a pessoa está agindo de forma diferente do normal, ou até mesmo se está exagerando nas pausas para o cigarro ou consumo de café.

Esperamos que esta postagem tenha conseguido trazer à luz um assunto tão importante e em alta. Fique sempre atento aos sinais que seu corpo lhe transmite e saiba diminuir o ritmo quando necessário.


11 de agosto é também o Dia do Garçom, você sabia?

No Brasil, o dia 11 de agosto é um dia em que comemoramos o Dia do Garçom, o Dia do Advogado e o Dia do Estudante. E nós do GoOut vamos mostrar para você curiosidades e porque nosso Garçom querido é tão importante para nós!

A origem da profissão de garçom

A palavra “garçon” em francês, significa “rapaz ou garoto” e os brasileiros passaram a adotar essa palavra, “traduzida” para o português como “Garçom”, para o funcionário responsável em atender as mesas de um bar ou restaurante. Isso aconteceu pois os brasileiros associavam essa palavra ao ver os franceses chamando de garçon os rapazes que atendiam às pessoas. Foram justamente os franceses os primeiros a reconhecerem a profissão, no século XVIII.
Se pensarmos bem, bem antigamente quando ainda existiam as tabernas, a função do garçom era exercida pelo proprietário do local e sua família. Com o avanço da urbanização, fez-se necessário a contratação de outras pessoas para auxiliar nos atendimentos. Esse fato já é um indicador para nos mostrar a importância e confiança que o profissional exerce no estabelecimento, antes comendado apenas pelas pessoas da própria família, sendo agora ele também um dos responsáveis pelas sucesso ou não do seu local de trabalho, pois com as informações certas, momento oportuno e muito carisma, é um dos grandes responsáveis pelas vendas realizadas.

Dia do advogado, do garçom e do estudante – coincidência?

O motivo do dia 11 de agosto ser considerado o dia do garçom é desconhecido, mas podemos imaginar que a data foi assim definida principalmente por ser também o dia do advogado.
Mas o que isso tem a ver?
No dia 11 de agosto de 1827, D. Pedro I instituiu no Brasil os dois primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais e esta data ficou marcada como o primeiro passo para o desenvolvimento da área jurídica no Brasil.
Porém, como todo brasileiro gosta de uma comemoração, para celebrar a instituição desses cursos jurídicos, os próprios comerciantes da época passaram a homenagear os estudantes de direito oferecendo a eles, todo ano nesta data, refeições de graça em seus estabelecimentos.
Claro que à medida que o tempo foi passando, a quantidade de alunos aumentou e os estabelecimentos não quiseram mais fazer “fiado” aos estudantes. Os estudantes por sua vez, ainda queriam esse presente, e passaram a pedir para que os estabelecimentos então “pendurassem” a conta do que foi consumido. Por isso que nessa mesma época, na década de 30, os estudantes da Faculdade de Direito do Largo São Francisco oficializaram o dia 11 de agosto também como o Dia de Pendura.
Logo notamos os três protagonistas desta data: os estudantes, o profissional que eles irão se tornar – o advogado, e o garçom, responsável por organizar toda a bagunça.

E assim nos perguntamos, quais os requisitos necessários para ser um garçom?

Os garçons estão presentes em restaurantes, bares, festas e eventos e apesar de não existir uma formação necessária para ser um garçom, é imprescindível que o profissional seja alfabetizado (para poder anotar os pedidos) e que tenha capacidade de observação e organização, paciência, disponibilidade de horário, responsabilidade e simpatia.
Além disso, hoje em dia estão disponíveis no mercado cursos de especialização e treinamentos que passam ao profissional da área, desde conhecimentos sobre como atender melhor os clientes e/ou convidados até especializações em comidas ou bebidas.
O SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), assim como outros cursos que você pode encontrar pela internet, inclusive de forma online e gratuita, oferece um desses cursos de especialização para a profissão. Se você quiser saber mais, acesse o site clicando aqui.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para os garçons acompanha o crescimento dos setores de lazer e alimentação e as opções de serviços são muito amplas. Se o profissional for disposto, disciplinado e proativo, certamente encontrará seu lugar nessa profissão.

Garçom amigo

Nos tempos atuais, o proprietário do estabelecimento deve considerar fortemente o investimento em sua equipe de garçons, pois além das funções básicas de anotar os pedidos, retirar os restos de comida e louças e deixar a mesa limpa para que outros clientes possam utilizá-la, é essencial que o garçom faça isso com simpatia, conhecimento dos produtos oferecidos na casa, e que consiga enxergar a oportunidade ao fazer alguma recomendação.
Um garçom simpático, disponível e paciente, deixa o cliente à vontade e muito propenso a voltar outras vezes. Por isso não é raro as pessoas sentirem certa intimidade quando encontram com o garçom ao chegar no estabelecimento.

E é por isso que, não só na data de hoje, todos os garçons são extremamente reconhecidos por nós da equipe do GoOut e queremos deixar a todos os nossos mais sinceros parabéns pelo seu dia!


É clima de Festa Junina! E Viva São João!

É clima de festa junina! 

O mês de junho é geralmente um mês muito esperado pelos amantes das festas juninas. O mês que inicia o inverno já apresenta temperaturas mais baixas e é ideal para criar esse ambiente junino cheio de cores e comidas típicas.
Inspirados no estudo recente do Brasil Food Trends 2020, onde observamos que a busca pela sensorialidade e prazer será uma forte tendência para os próximos anos, resolvemos contar aqui um pouquinho sobre essa festa tão enraizada em nossa cultura e quem sabe dar algumas ideias para você utilizar essa comemoração tão especial para atrair mais clientes?!?!
Ah, se você não leu ainda sobre esse estudo das tendências para os próximos anos, clique aqui.

Origem das festas juninas

A comemoração foi trazida para o Brasil por influência dos portugueses no século XVI.
Na Europa o cristianismo estava se consolidando como a principal religião do continente e uma das formas que a igreja encontrou para converter mais fiéis foi incluindo essas festividades (que já aconteciam como cultos à fertilidade), ao calendário cristão.
No mês de junho 3 principais figuras do catolicismo se destacam, são elas: Santo Antônio (dia 13), São João (dia 24) e São Pedro (dia 29) e a celebração desses santos católicos é feita com muita música, dança e pratos típicos.

Viva Santo Antônio!

O dia 13 é dedicado a Santo Antônio, o santo mais requisitado pois é considerado como santo “casamenteiro”. Você sabia que o Santo Antônio é o segundo santo mais popular no Brasil?
Em um casamento é comum vermos o santo decorando doces e até mesmo sendo carregado no caminho para o altar. Se você possui uma cafeteria ou serve doces em seu estabelecimento, que tal pensar em um cardápio especial para esse santo nessa época do ano, talvez com ingredientes que remetam ao famoso bem casado?

Olha, isso aqui tá muito bom!

As músicas típicas das festas juninas inspiram todos a arriscar alguns passinhos de dança e a soltar a voz. Até hoje muitas são compostas especialmente pelos nordestinos, sendo o pernambucano Luiz Gonzaga um dos grandes destaques.
Mesmo que seu estabelecimento tenha um público voltado ao rock, ou tenha aquela pegada de pubs ingleses, hoje em dia várias bandas já fazem adaptações dos clássicos juninos em forma de pop rock. Que tal escolher um dia para fazer um rock junino no seu bar?

Para dar sorte!

Inicialmente as comemorações desse mês eram feitas para pedir colheitas fartas e fertilidade nos campos. Essas superstições se mantiveram, e hoje várias pessoas continuam fazendo pedidos e simpatias nessa época do ano.
Tradicionalmente as festas juninas são comemoradas de uma forma mais rural, ao ar livre, em pátios abertos ou grandes terrenos. Porém sabemos que na maioria das vezes ter um espaço assim é difícil. Por isso, que tal utilizar da sua criatividade e improvisar no seu estabelecimento algumas referências ao festejo junino? Bandeirinhas coloridas, bambu, lanternas que imitam os famosos balões que costumavam ser lançados aos céus para atender aos desejos... tudo isso pode fazer seu cliente se sentir acolhido e por algumas horas, imersos em uma outra cultura.

Por último e não menos importante: os quitutes juninos!

Fala sério, quem não gosta das comidas típicas de festa junina? Bolo de milho, canjica, sopas e caldos, pamonha, pipoca, quentão... As comidas típicas juninas têm origem do norte e nordeste do Brasil, e isso é um prato cheio para você aproveitar e oferecer a seus clientes essa experiência cultural e gastronômica.
Nessa época do ano, muitos bares e restaurantes entram no clima e promovem seus próprios arraiais com menus exclusivos e por tempo limitado. Alguns desenvolvem drinques inspirados no quentão, outros criam receitas exclusivas de bolos de milho, sem glúten e lactose. Há também aqueles estabelecimentos mais ousados, que recriam alguns pratos tradicionais, com toques modernos e atuais. Pense nas ferramentas que você tem disponível em seu estabelecimento e veja como pode usá-las a seu favor para criar uma opção única e exclusiva!

Essa época do ano está no coração da maioria dos brasileiros, e vale a pena se planejar para trazer um pouquinho dessas raízes para o nosso dia a dia, nem que seja por apenas um mês.


Brasil Food Trends 2020: o que podemos tirar deste estudo?

Brasil Food Trends 2020: o que podemos tirar deste estudo?

Divulgado pela Fiesp, através do seu departamento de agronegócio e em parceria com o governo do estado de São Paulo, na participação do ITAL (Instituto de tecnologia de alimentos), o relatório Brasil Food Trends 2020 tem como objetivo apresentar a principais tendências da alimentação, antecipando as demandas da sociedade.
O segmento de alimentos e bebidas é extremamente competitivo e por isso é crucial estar bem informado em relação às tendências e desafios do setor. Já passamos aqui no blog algumas dicas para você não desanimar nesse período de isolamento social e abraçar as mudanças que vêm por aí (se você ainda não leu a matéria, clique aqui), e agora é a vez de analisar o que o mercado tem a dizer!

Antes de mais nada: Food Service!

Basicamente podemos considerar o food service como a alimentação fora do lar. Dentre os estabelecimentos que mais faturam nesse setor, os restaurantes, bares e padarias, somados, representam mais da metade do faturamento, com 51% do total.
Considerando a contínua evolução na procura por alimentação fora de casa e as expectativas de expansão desse mercado favoráveis no Brasil para os próximos anos, é possível garantir que haja avanços nesse setor, uma vez que as tendências exigirão mudanças aos serviços prestados.
O estudo listou 5 categorias de tendências de alimentação para os próximos anos. São elas:

1) Sensorialidade e Prazer

A tendência da sensorialidade e prazer está presente pela valorização da gastronomia. Saber mais sobre os ingredientes e suas origens, harmonização de bebidas e alimentos, sabor e qualidade, fazem do ato de comer um exercício de prazer e de manifestação cultural.
Essa tendência fará com que os estabelecimentos revejam seus cardápios futuros, considerando exclusividades, maior diversidade de ingredientes e receitas regionais. Além disso, também será necessário que essas propostas gastronômicas estejam em harmonia com o ambiente físico onde serão oferecidas essas refeições, tornando tudo muito mais sensorial.

Foto by Timolina

2) Saudabilidade e Bem-estar

Não é segredo para ninguém que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o bem-estar e com o consumo de uma alimentação mais saudável. Nesse caso, vale lembrar que não é somente na alimentação que as pessoas irão procurar bem-estar, mas também em um ambiente e serviço diferenciados.
Promover em seu cardápio produtos mais saudáveis e rever alguns dos pratos principais com opções mais lights pode ser uma boa opção. Se seu estabelecimento já está dentro de um nicho com a proposta de oferecer apenas alimentos naturais e orgânicos, essa é a hora de aparecer! Você sabia que a previsão é que até 2023 o mercado brasileiro de alimentos e bebidas orgânicos – que vem crescendo acima da média mundial nos últimos anos – cresça a uma taxa média anual de 9% em faturamento?

3) Conveniência e Praticidade

“A tendência de conveniência e praticidade valoriza os serviços de alimentação com localização acessível, atendimento rápido e facilidade de pagamento, que proporcionam economia de tempo, tanto para o consumidor como para os estabelecimentos”.
Devido à falta de tempo, as pessoas estão improvisando refeições na rua. Se seu estabelecimento não é um desses setores que já propõem um relacionamento mais prático com seus clientes, como as lojas de conveniência, quiosques de rua e locais de autosserviço (self service), sugerimos que você analise seus processos e identifique pontos que podem melhorar em termos de agilidade, seja por meio do cardápio ou até pela forma com são feitos os pagamentos e entregas.

4) Confiabilidade e Qualidade

Como mencionado no primeiro item, as pessoas buscarão cada vez mais experiências sensoriais e prazer na hora de fazer uma refeição. A busca da origem do que é consumido não se restringirá apenas como curiosidade gastronômica, mas também como selo de confiabilidade e qualidade.
Nesse ponto, o uso de redes sociais e aplicativos como o GoOut devem ser explorados ao máximo, criando com o consumidor essa interação de fornecer informações sobre os serviços e produtos e obter avaliações sobre a qualidade das refeições e do atendimento do seu estabelecimento.

Foto by Drobotdean

5) Sustentabilidade e Ética

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a sustentabilidade e com o senso de cidadania. O seu estabelecimento faz o uso correto dos recursos naturais como a luz e água? Promove o consumo consciente de produtos que causam danos ao ambiente, como o plástico por exemplo? Emprega pessoas de qualquer etnia, gênero e idade?
É necessário pensar com atenção nessa tendência, pois além dos olhares cada vez mais atentos dos seus clientes, o futuro trará mecanismos de controle, avaliação e certificação de práticas sustentáveis, e você não quer que seu estabelecimento não seja adequado, não é?

Essas foram as cinco categorias de tendências listadas no estudo do BFT 2020. É certo que ainda existem outras tendências chegando e ganhando força e por isso é essencial de que você esteja antenado ao mercado e em todas as suas novidades.
Deixe seu comentário se você quer saber mais sobre essas tendências e receber dicas de como fazer para acompanhá-las.

Leia o estudo completo do Brasil Food Trends 2020 em: http://brasilfoodtrends.com.br/


Como manter seus negócios e sonhos durante a quarentena

Como manter seus negócios e sonhos em movimento durante a quarentena

Certamente estamos vivendo em um período muito delicado em nossas vidas e muitas coisas que tínhamos como certeza, agora despertam muitas dúvidas.

Vários setores da economia estão sendo afetados diretamente pela pandemia da COVID-19 e os estabelecimentos que oferecem refeições, bebidas e lazer são uns dos mais afetados.

Apesar da paralisação dessas atividades, é necessário primeiro aceitar que é um momento passageiro. Essa perspectiva ajuda os empresários a continuar trabalhando em seu negócio com dedicação e cuidado.

Mas, o que pode ser feito para continuar focado e atento ao mercado?

Aqui vão algumas dicas que nós da equipe do GoOut, podemos dar para você, que tem um negócio no setor de bares, restaurantes e eventos. Esperamos que você possa refletir e planejar seus próximos passos. Afinal, essa situação veio para mostrar que precisamos nos reinventar sempre, não é?

Primeiro, como dito anteriormente, entenda que este é um momento passageiro, e que não podemos deixar de trabalhar, estudar e buscar o melhor para nós e para nosso negócio.

O ser humano gosta de viver em coletividade, e o melhor momento depois que a quarentena acabar, será o momento dos reencontros. Promover os reencontros e oferecer o melhor acolhimento que as pessoas vão buscar (e precisar), será seu papel. Comece a trabalhar esse pensamento para entender a importância do seu negócio nos dias que virão.

Segundo, se você ainda não fez isso, agora é uma boa hora para rever o modo como seu estabelecimento funciona: será que o visual do seu estabelecimento segue no mesmo conceito e tema proposto pela casa? Tem algo no cardápio que pode ser melhorado? Há alguma promoção que você possa fazer? Está tudo certo com as instalações do bar, banheiros, caixa...? Fazer esse check list e corrigir problemas, deixará seu estabelecimento pronto para receber novamente seus clientes.

Terceiro: trabalhe e converse sempre com sua equipe e com aqueles que são importantes para o funcionamento e atendimento, são eles quem estarão cara a cara com os seus clientes. Funcionários satisfeitos e em sintonia com os seus superiores promovem um ambiente muito mais agradável e simpático.

E finalmente, a quarta dica é reunir todas essas informações, avaliações e novas ideias em um local onde o cliente possa ver tudo aquilo que você oferece. O GoOut é um aplicativo que é capaz de fazer isso, onde você pode informar todos os serviços do seu estabelecimento, cardápio, programação de música e eventos, promoções e muito mais.

O seu trabalho e cuidado com o cliente será visto e reconhecido. Os usuários poderão ver no seu estabelecimento, de forma rápida e clara, tudo aquilo que precisam para finalmente poder sair de casa e se divertir.

Esperamos que nossas dicas possam ter ajudado e se quiser saber mais sobre o aplicativo, entre em contato conosco.